Oeste Rural 16h às 18h


Por: Athenais

Informação foi divulgada nesta quarta-feira (29) pela Secretaria de Segurança Pública do estado (SSP-BA). Seis vítimas ficaram sob o poder do grupo por cerca de 3h.

Os homens que foram presos após fazerem moradores reféns em uma casa no bairro de Santa Cruz, em Salvador, na noite de terça-feira (28), vinham sendo investigados há 2 anos por homicídios, roubos e tráfico de drogas, informou, nesta quarta (29), a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA). Seis vítimas ficaram sob o poder do grupo na residência por cerca de 3h.

No final da manhã desta quarta, os dez presos foram apresentados à imprensa, no auditório do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro da Pituba. Cinco deles participaram da ação em que os moradores foram feitos reféns. Os outros cinco tinham sido presos horas antes e, segundo a polícia, indicaram o local onde estava um comparsa, e onde a polícia acabou encontrando outros cinco suspeitos.

Os homens presos por manter as seis pessoas reféns foram Fábio de Souza Costa, o ‘Binho’, 34, Mateus Santos Silva, 24, Jônatas Silva da Cruz Cerqueira Santos, 18, Renilson dos Santos Puridade, 2, e Gabriel Oliveira de Alcântara, 30. A polícia informou que eles vão responder por porte ilegal de arma, resistência, cárcere privado e tráfico de drogas.

Antes deles, já havia sido presos Alex de Oliveira Santos, o ‘Arraia’, 21 anos, e João Paulo Souza Santos, o ‘JP’, 22, Lucas dos Santos, o ‘Amoeba’, 20, André Caique Pereira Bispo Santana, 21, e Wesly Machado Soares, 21, apontados como pertencentes ao mesmo grupo criminosos. Eles foram autuados por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

Conforme a SSP, Alex e João são suspeitos de liderar uma organização criminosa que atua com comércio de entorpecentes, homicídios, roubos e corrupção de menores, na localidade da Sucupira, no bairro da Santa Cruz.

Fonte: G1 Bahia

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

*





Rua Guadalajara, 403 - Centro | Barreiras-Bahia
© Copyright 2013 RB - Rádio Barreiras | Todos os direitos reservados