Por: Athenais

Lancha com 8 passageiros afundou durante travessia entre Salvador e Morro de São Paulo; todos foram socorridos com vida.

Eu não sei até que horas a gente vai estar com celular. Pede ajuda que a lancha está afundando. A gente está em cima da lancha. Já perdemos as coisas”. Em tom de desespero, esse foi o pedido de socorro, feito através de uma mensagem de áudio, que uma das pessoas que estavam na lancha particular que naufragou durante travessia entre Salvador e Morro de São Paulo, no baixo sul da Bahia, na última quinta (2), conseguiu enviar. Todos os oito ocupantes da embarcação foram resgatados sem ferimentos.

O grupo só conseguiu pedir ajuda porque estava com dois celulares que eram a prova d’água. Ainda assim, eles ficaram cerca de três horas no mar à espera do resgate, que foi feito por outra embarcação que passava pelo local. O Grupamento Aéreo da Polícia Militar também deu apoio na retirada do grupo da água.

Uma outra mensagem de áudio, desta vez de um homem em uma embarcação que procurava pelo grupo, também foi divulgada. “A gente está aqui com mais cinco ou seis barcos rodando para ver se encontra ele aqui. É quase uns 20 minutos de Morro. Até agora nada”.

Um dos passageiros da lancha que naufragou, o músico e empresário Moisés Sande, conversou com o G1 sobre o acidente e afirmou que chovia bastante quando a embarcação começou a afundar. A Capitania dos Portos está investigando as causas do acidente, entretanto o mar agitado provocado pelo mau tempo pode ter causado o naufrágio.

Segundo Moisés Sande, após uma hora de viagem sob forte chuva, a tripulação sentiu um forte impacto. Antes do naufrágio, quando os ocupantes perceberam que algo de errado estava acontecendo, Sande disse que os passageiros acionaram o 190 e também um grupo de lanchas [de pilotos] em um aplicativo de bate-papo no celular.

 Antes do naufrágio, os ocupantes conseguiram retirar um dos assentos da lancha, que serviu como apoio para os passageiros.
Um dos amigos de Moisés Sande apareceu nas imagens da polícia fazendo uma selfie no momento do resgate e a imagem se espalhou nas redes sociais. Sobre a situação, Sande explicou que os ocupantes mandaram fotos para familiares mostrando que tudo estava bem e que registaram a situação para ficasse como arquivo pessoal e não para divulgação.

Segundo o empresário, durante o resgate, a sensação foi de alegria e que o registro era algo deles, que ficaria marcado na vida dele e dos amigos. “Era para ser uma coisa nossa, um registro nosso, nada para ser divulgado, e acabou gerando uma série de interpretações. Vi que gerou memes”, contou.

Apesar do susto, o grupo de amigos não desistiu da viagem, e o final de semana de passeio em Morro de São Paulo não foi cancelado. Sande falou que o susto fez valer ainda mais a premissa de que a vida não pode ser desperdiçada. “Numa situação como essa, você repensa muita coisa. Pensa na família, nos planos, nos assuntos mal resolvidos. No fim de tudo, o que vale é viver. Já que a gente está a salvo, temos que aproveitar a vida”.

Fonte: G1

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

*





Rua Guadalajara, 403 - Centro | Barreiras-Bahia
© Copyright 2013 RB - Rádio Barreiras | Todos os direitos reservados