Por: Athenais

Durante ações de combate ao furto de água no município, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) identificou e retirou, entre janeiro e março deste ano, cerca de 50 ligações clandestinas, popularmente conhecidas como “gatos”, na rede distribuidora de água de Barreiras.

Foram encontrados diversos tipos de fraudes, desde a ligação clandestina comum, feita por pessoa que nunca solicitou ligação de água para o seu imóvel ou que teve a água cortada por falta de pagamento, até o by pass, desvio de água a partir de um ponto instalado indevidamente antes do hidrômetro, para impedir que o aparelho meça o consumo real.

Juntas, as fraudes resultaram em 393 mil litros de água a menos na rede distribuidora, volume que seria suficiente para abastecer 65 imóveis, com um consumo de 6 mil litros de água cada, durante um mês.

Em Barreiras, a Embasa mantém duas equipes que trabalham diariamente em campo para identificar os furtos de água, com o apoio logístico do escritório local. A empresa também aciona a Polícia Militar para emissão de boletins de ocorrência, o que permite que o autor do dano seja civil e criminalmente responsabilizado.

Os furtos de água, segundo ela, acontecem de maneira pulverizada em bairros centrais e periféricos de Barreiras e independem de situação econômica. “Além de residências, grandes consumidores como comércios, escolas e hospitais também são comumente flagrados. Além do constrangimento de uma ação criminal por furto de água, é aplicada multa e calculado uma média do que o imóvel furtou de água”, explica a gestora. “Contamos com o apoio de denúncias da população, que é diretamente prejudicada com a redução da vazão e com picos de falta de água ao longo do dia. Quem faz gato não se preocupa com a conta, com o desperdício e nem com a coletividade”, reforça.

ALERTA |  A prática de furto de água é qualificada crime contra o patrimônio, de acordo com o artigo 155 do Código Penal Brasileiro, cujo parágrafo 3º, ao tratar de furtos, equipara “à coisa móvel a energia elétrica ou qualquer outra que tenha valor econômico”. A pena prevista na lei é reclusão de um a quatro anos e multa. Ligações clandestinas de água devem ser denunciadas pela população pelo telefone 0800 0555 195.

 

 

 

Fonte: G1 Bahia.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

*





Rua Guadalajara, 403 - Centro | Barreiras-Bahia
© Copyright 2013 RB - Rádio Barreiras | Todos os direitos reservados